terça-feira, 6 de julho de 2010

Matando a saudade!



Menina flor


No olhar menina
cintila a vida
brilhos nunca vividos
nas mãos estrelas brincam
sonhando sorri a infância
e jamais deseja ser mulher

No olhar da mulher
uma penumbra nos sonhos
o brilho já não é tão intenso
as estrelas se escondem em nuvens cinza


Menina e mulher se mesclam
uma dentro da outra
A ternura reencontra a criança
e a mulher renasce em flor.

Sônia Ortega
www.soniaortegarecantodasletras.com.br

Um comentário:

Tati Pastorello disse...

Vinícius tem um poema, que dá nome a um livro, que meu pai me deu quando eu era uma adolescente, que tem este nome: para uma menina com uma flor. E a dedicatória de meu pai é a mais gravada de todas as dedicatórias: "Para uma filha-flor, com muito amor". Não é lindo? Beijos.